Poetizando o dia dia

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011


Administrando o sabor do eco espero calmo ou talvez disperço pela monotonia das pálbebras esclarecidas...em tardes de calor alimenta preguiça.
As escolhas sempre estiveram em cima da mesa!!!
oras bolas...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011



"...acende logo um incenso. Sair de casa? já começo a ficar tenso, pela falta de bom senso."


Ma Beto!!!

terça-feira, 9 de agosto de 2011




Fui atráz do meu pote de ouro e encontrei um beco e um cais...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011



...se a voz engasga e submerge o engano, faz de conta que tudo aconteceu, porque quanto mais as coisas mudam...mais elas ficam iguais.


A saída vem em buraco de fechadura...mudançar!!

domingo, 31 de julho de 2011



...como certas coisas conseguem ser tão bonitas.

meio souvenir!

terça-feira, 19 de julho de 2011



Permita-se levar por sentimentos embrulhados em papel celofane, escorregando infância onde a velhice teima em anunciar o findar...



..."hoje eu só quero abraçar a metade do infinito" Ed.marques

quinta-feira, 30 de junho de 2011



São dias pensados, são dias passados...não sei aonde tudo começa mas poder distinguir a singela alegria de ouvir a minha imaginação movendo meus lábios traz de volta a simples vontade de permanecer descontraindo.


...nice!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

 
Ver de dia ver que tudo acontece
verde dia,
faz o inverso acontecer
faz melhor o dia.

quarta-feira, 15 de junho de 2011



Plainando por superfícies procuro a brecha para escapar por vales e grutas invisíveis tornando o natural mais prazeirozo e o abstrato mais real...

quarta-feira, 25 de maio de 2011



Se cheguei até aqui foi no vão improviso...equilibrando a bandeja da vida. A glória que preciso é mais do que mera aprovação, fazer parte é a intenção!! Um beijo de lado e um pedaço de bolo de cenoura com chocolate já está bom!!

...e ainda sinto os dias mais curtos.

segunda-feira, 23 de maio de 2011



Disponivel ao elementar!!! rastelando lembranças e me recriando ainda mais sutil, gosto de imaginar quais seriam as palavras mais usadas por voce...esse jeito rocks!!!

quarta-feira, 18 de maio de 2011



Fico sempre atento ao merecimento...para poder degustar, antes é preciso esperar o número final aparecer e nos dizer se realmente podemos vislumbrar o pote de ouro que se esconde das vistas mais cansadas de procurar.
Se for pra mim, traz o contente e lustra esse dia para podermos dançar com o universo...


nem que seja por um segundo.

quinta-feira, 12 de maio de 2011



Janela aberta ensaianado frases salvo o meu pensar e é tudo multidão...mistura de alegrias girando em contorno. Continuo esperando a minha deixa, a excêntrica cambalhota no minuto final e sair apenas com um aceno.

sail away

segunda-feira, 9 de maio de 2011



Seiva em saliva e já está tudo bem...sinaliza corregos motivando o ilustre espaço que resiste ao invento de pequenas manhas.
Seria mais fácil, seria fácil...

quarta-feira, 4 de maio de 2011



Toda noite perfuro a madrugada e saboreio o doce perfume de céus estrelados...como cápsulas de midnite abertas na mesa central da sala busco a solitude delirante de tempos remotos. Parado em controle, o absurdo se torna viável e se alimenta de cicatrizes...mendigando o bem que tanto ilude ébrias pupilas.



Procurando o mágico fim da corda...

terça-feira, 3 de maio de 2011



Leve a vida 4x4 em batidas macias alternando caixa, bumbo e aquele chimbal quase melancólico...destoe da multidão que esconde seres especiais e medite sobre o impossível!!! Faça um tang adulterado e deslize sem medo pelo abismo da irracionalidade...escute o solo pingado em notas arranhadas que dizem mais do que mil palavras, distoncerdo a fulgaz realidade e me fazendo flutuar em verdes campos...
Aquele velho estilo de onda ainda existe em minha cabeça, quem sabe um dia consiga realizar a proeza do rock in veins. A rede foi lançada...não se deixe levar por menos do que deseja...

sexta-feira, 29 de abril de 2011



Enfeitiça a túrgida visão e nós faz perceber que amanhã é tarde demais...quero tragar o mundo de uma só vez, colando imagens e cantarolando sandices!!! Beber o veneno no bico escutando melodias em terra prometida.
Um passo a frente e me mostra o avesso, o que tange a imaginação...

quinta-feira, 28 de abril de 2011



São em noites assim que revela-se o lúdico pensar em coisas passadas, assim me veio a cabeça um antigo falar de um amigo: "sempre desconfie de quem não bebe, de quem beija de olhos abertos e de quem não da risada de si mesmo".



...o mundo continua o mesmo amigo...

sábado, 23 de abril de 2011



Cuidado com a kriptonita...
segue avisado que a energia lhe convém ao que se apetece, mira os olhos onde deseja e faz nascer um pedido no espelho!! eu vim viver a minha prudência e no mapa mundi não se acha o laço frouxo a se desfazer em pães de açúcar...

terça-feira, 19 de abril de 2011



Magestic!!!
está acontecendo...vibrantes pilões tingem de tinto estórias caducas em tempos de cordas. Tudo SUSTENIDO

sexta-feira, 15 de abril de 2011



A dispensa, o desapego sóbrio...a natureza selvagem que abriga situações descontroladas. Tudo por nada, e já me sinto voltando, pregando o sentimento desvairado. Tive vontade de me perder pra sempre, e se algum dia alguem me achasse talvez reconheceria sutilezas em meus atos. Olhando fixamente a lua traz consigo o que eu ainda nem ousei imaginar...algo bom...

sou marginal...

segunda-feira, 11 de abril de 2011



Vem com tudo e explora esse caleidoscópio realizador de traquinagens...pinga um corante violence em minhas barbas e me ajuda a levar adiante esse embate homérico!!!
Ensina a rastrear divagações alheias juntando o útil ao sonhar, amassando com os pés nuvens carregadas de eletricidade. O pesadelo já passou...o que me resta é a simples vontade de ser multi.

Abra os olhos é tudo colorido.

domingo, 10 de abril de 2011

As vezes sento no sofá trono de casa e me dispo da armadura fiel de guerreiro galáctico onde luto com poesia e enfrento o difícil dia a dia. Se enxergo gotas douradas fluindo do céu ao invés de apenas chuva cotidiana sou eu que sou clima e não voce que se julga vencedora sem mesmo ser dona do que achas ser melhor, subestimando o simples prazer de ser...na minha varanda só existe devaneios!!!



Estava assim sei lá.

sábado, 9 de abril de 2011


Mira em frágil alvo e atira delicadezas adjetivadas... sem dizer o que realmente faz sentido. Flúor de outono baila adiante sem se pré-ocupar com efusivos adesivos. Volta ao mundo em menos de 5 minutos, e já sei de tesouros escondidos em jardins amarelados. A última gota que escorre do meu copo é brilho...faço do impossível estilhaços de um dia.
Meu travesseiro nunca foi de pedra e se escapa da tangente fica a deliciosa questão da vida.
Sonhar ou não sonhar?

terça-feira, 5 de abril de 2011


Viajo em caixa de fósforo e a literatura se complica, dificulta a escrita. Tem rio que corta a estrada e jacaré em cima da escada.
De manha é aventura, tem risada que risca a cidade e me lembra loucura, me faz insano...
Um dia pra me dar, um dia pra nadar!!!
Sempre enlouqueço terças...pois acredito que quando voce gira mais rápido que o mundo ele gira melhor!!!

No quebra cabeças do que imagino as peças lentamente vão caindo em seu devido lugar, e a imagem que explandesse e vislumbra é tua.

segunda-feira, 4 de abril de 2011


O corpo esgota quando fadiga bate ao peito e garfa o entusiamo... apaga as idéias e sofre o desgaste, não sintoniza. Hoje só amanha...

domingo, 3 de abril de 2011



Vem com capricho e torna-se majestade, alegra essa criança de domingo. Like a sundae in the sunday!!!
São bolhas de sabão a flutuar em direção ao encontro de dois lábios, devagar, dois destinos...que com o passar do tempo funde a glória e casa sorrisos. Vai ter conquista, vai ter leveza...vai ter sempre babaloo em cima da mesa, e a vida que desejo passa longe do normal.


...salta comigo...

sábado, 2 de abril de 2011



Anzol em borboletas não se vê, quando tudo o que eu almejava era o simples entardecer em tempo bom, pois os dados nunca param de rolar...
Hoje nublei buracos negros, murchei sons ao me inventar, forjei o inevitável passeio por árticos jardins. Um longo caminhar por senzalas de emoções, o menino que havia aqui já se perdeu...
Sou catavento em calmaria...É quase insuportável.

sexta-feira, 1 de abril de 2011


A brisa gelada que me agrada de manha perfura poros, aluga rimas, cinzas. Singela voz a sussurrar cantigas de despertar, são intervalos a desejar uniformidade - Plenitude...
Desfrute sem pensar a velocidade que desliza azul, bailando em frases molhadas em goles de café(solúvel).
Sentado debaixo desse caracol eu fito as idéias e é comédia. O céu da minha cidade é diferente, tem seis tons de azul ao entardecer...

quinta-feira, 31 de março de 2011


Quando queres semea estrelas no meu coração
trasforma ilusão
em mel
que em brilho
acaricia com malicia
furtivos prazeres
Nem só de pranto ou alegria vive cada dia
mas onde ha certeza
que repousa
a harmonia



*estátua o Semeador de Estrelas, Kaunas - Lituânia.

quarta-feira, 30 de março de 2011



Sou segundo plano
na verdade não sou nem plano
sou algo que não sei explicar
me joguei sem saber
onde me encontrava
Vivi
talvez
apaixonei
mas não fiz apaixonar...
será que marquei?

terça-feira, 29 de março de 2011



Hoje um elétrico passarinho camuflado em sutileza bicou meus pés, fiquei em dúvida...será que ele queria me alertar algo?

Ensaio paciência e luto com sabor pois não me falta a vontade de futuro em fina flor. É amuleto que carrego em roto peito cruzando idéias, lembrando dela.

Bem me quer ou mal me quer?

Delicado trato faz morder ao meu favor a sagaz estória de um dia em belo altar poder fazer durar, fazer nevar e alegrar o frio da dor.
Um gole de dissonâncias...

segunda-feira, 28 de março de 2011


Gargalhadas até que se perca o fôlego, reunindo o que ha de mais especial. Fito a gravura em relevo displicente e desliza até o cerne causando espanto ao menos avisado.
Hipnotiza e tinge de vermelho a palma da minha mão.
Já que fujo do óbvio não caio em armadinhas, só mando beijos pelo retrovisor!!! Adormece em prazeres fina observação, o canto de sereia...
Já bati em tais rochedos e bebi o sal da concha que de tão cristalina arrepia, volto a infância quando sinto a fragância do macio algodão doce que derrete no céu da minha boca. Avisando que o essencial nunca perde a glória de nos ver saltando no final...
Só me rendo a encantos!!!


...e em rodas gigantes!!!!

sábado, 26 de março de 2011


Assim eu fico mono, perco folhas em suspiros induzidos, não me acho. Amarga o clímax e causa um certo aperto onde sempre foi folia.
São cartas marcadas em morna situação, não quero dividir,quero divertir...
Inverter a lógica ofuscante que bambeia em muros descascados, em beijos guardados, e plantar balões em cucas anuviadas. Sentir mais uma vez o espontâneo.
Assim não tem respeito, pois o meu jardim tem que regar...de preferência com gostosuras!!

sexta-feira, 25 de março de 2011


O sono espremido em cortinas amareladas dissipa cordialidade, é faca que perfuma com raiar de dia, integrantes de fantasia anunciada.
Doce encontro pingando em conta gotas apenas o necessário, convite a beleza de caminhar ao encontro seu, em brinde reconhecido. E quem quer se molhar?
Em meio a grãos de areia levanto castelos, imaginando o lindo balé de jubartes em céus estrelados.
São coisas que eu sei...

quinta-feira, 24 de março de 2011


O tempo que quero é mosaico fluido, coração na mão...
a dose mais forte do veneno mais belo, a cativa sensação que amanheço. Um beijo torto cheio de vontade, um pedaço desse seu amor.
São nuvens amantegadas fixas em cumes que faço questão de escalar, mesmo que por um vacilo eu perca a chave do meu paraiso, tento em sã consciência ser sublime, mesmo que por um vacilo...

quarta-feira, 23 de março de 2011




É natural...
A fumaça risca o tombo como mosca a zumbizar, traz desapego. Flagela sem licença, deseducada, água densa que escorre pelo ralo.
Batiza em noites quentes mas já é hora de findar...
Me despeço em boa hora, agora tenho razão maior.

terça-feira, 22 de março de 2011



Viagem...

A minha havia começado a muito tempo, mas ainda se encontrava no início. Não que não tivesse obtido resultados e avanços mas o caminho a trilhar era muito longo e desconhecido. Muitas tempestades estariam por vir ainda, mas muitas flores também estamparia.
A cidade refletia em timidez, pois nua era como um campanário escravizado pelo ponteiro das horas. O que mais gostava era da pálida badalada da 1 da madrugada, não por vaidade mas porque era única.
As vezes me sentia exótico, mas só as vezes...a maior parte do tempo era como se tudo o que eu pensasse fosse alheio ao resto, supérfluo...

Eu havia me isolado do bando novamente.

A vida chutada a frente já não me dava escolhas, era preciso continuar, e nesse velho novo destino as tentações eram as mesmas mas a cabeça sorvia a diferença.
Tristeza e alegria a flor da pele conviviam...foi ai que ouvi pela primeira vez um estranho sussuro gritando dentro da minha cabeça e rasgando a minha concentração.Estampou-me o meu avesso:
Coragem Cidadão!!!!


*trecho do livro Cidadão Coragem, a verdadeira estória de um homem comum aos demais.
Um dia eu publico!!!!!!ou não...

segunda-feira, 21 de março de 2011



É bela...passeio em suas curvas de olhos fechados, imaginando sensualidade liberta se esvaindo em singelas demonstrações. O calor que arde do toque da pele inunda meu mundo de sensações, meu corpo ao seu.
Respiro sua lógica, em deleite, tão perto que cega a alma e justa lira a tu pertences, não uma nota mas uma melodia.


Quem diria...

domingo, 20 de março de 2011



Um raio de som me rasga o pensamento...inerte...
A vida me martela ao ouvido e meu corpo não treme, Vibra!!!
Mistério dos campos plácidos, equilíbrio do ser em meio ao afeto a onde me sinto tão calmo.

Ondas e trovoadas de idéias.

O grito...

Meu corpo em movimento constante. Tudo em lembrança vívida! almejada e já obstante do sagrado...Vaso sanguíneo exposto ao mais claro sentimento.

sábado, 19 de março de 2011


São lâmpadas acessas ao amanhecer na espera entrecortada por faróis semi adormecidos, rotineiros. Fugazes passos ao encontro de um trono, tesouro de barro...
Alguém pra desconversar.
Seguindo o fluxo contínuo que nada diz, o perfume de mulher é flor. Em mês de março costuro recomeços, em pálbebras adormecidas que jazem a vontade de me perder.
Continuo assim, pianinho...


*indo pra trabalho deu vontade de escrever...

quinta-feira, 17 de março de 2011


Estou profundamente empenhado em desvendar o mistério das margaridas carnívoras que habitam os corações de quem ama. Dias de chuva e sol contínuos nublam as expectativas de uma resistência, e observando de longe, a hora da vírgula sempre se faz necessária.

Passivo de olhares furtivos a trilha se fecha. Não engulo mais a saliva retrograda de outrora e sim metáforas estilizadas de sentimentos básicos. Queria poder girar mais rápido que o mundo, girar, fazer do incerto momento um piscar de olhos, queria me ver.
Pegando carona na estrada da ilusão a companhia se dissipa em solitude, plena de felinos amansados pelo instinto do ser num encontro de pupilas oníricas, sóbrias.
Se me embriago, já não trago nas mão a falta.  

Varrendo as varandas empoeiradas de dissimulação encontro-me filho, num encanto que me rasga a prosa e salta pela janela distante forjada de miragens. A dificuldade exaltada sufoca a naturalidade de emoções que descem pelo escorregador da minha garganta gasta.
Sei que nunca foi fácil, mas a fecha no peito ajuda a estancar o sangue, se a tirar é falecer, carrego esse fardo.


* escrito entre o "mágico" momento de se montar uma escala para funcionários...

quarta-feira, 16 de março de 2011


Tardes de outono...

Raios sonoros passam longe de perturbar a transformação de uma fotografia onde a infância era pura felicidade, o recreio era eu. Experimentando o frio da calçada, só por diversão como se nada fizesse sentido.
Sorri, sorry...  

Tudo fora o lugar, os melhores dias envolvidos em lembranças coletivas. Um dicionário de gargalhadas emocionantes! Um piscar de olhos pra quem vislumbra do conhecido. O calor de um copo cheio de aventuras. 

Viagem em um papel, tudo escrito.